NOTÍCIAS 2022

O setor de Química Analítica foi criado para realizar medições e elaborar metodologias de análises químicas para atendimento a demandas de fiscalização do setor nuclear.

O objetivo do laboratório consiste em oferecer suporte analítico às atividades de fiscalização, licenciamento e descomissionamento de instalações radioativas e nucleares. Análises químicas de minérios estratégicos sujeitos ao controle da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), sobretudo de urânio e tório, são rotineiramente realizadas pelo laboratório.

Para executar essas atividades, o setor conta com profissionais altamente qualificados que são capazes de realizar determinações quantitativas em uma variada gama de amostras, como efluentes, águas, minérios, solos, alimentos, dentre outros.

Neste contexto, técnicas de alta complexidade, tais como espectrometria por fluorescência de raios-X, Espectrometria de Emissão Plasma, Espectrometria de Absorção Atômica, Espectrometria de Massa por Plasma e Analisador Dedicado de Mercúrio, são utilizadas para a execução dos ensaios. A qualidade dos resultados emitidos é assegurada pela acreditação ISO/IEC 17025, sendo o único laboratório da CNEN que atualmente possui esta certificação.

Somado a isso, o Setor de Química Analítica do LAPOC contribui para a formação de novos profissionais da área química em âmbito regional. Para este fim, bolsistas desenvolvem projetos de pesquisa específicos no laboratório.

De acordo com o servidor Rodrigo Bonifácio, pesquisador do LAPOC responsável pelo setor, “há cada vez menos laboratórios públicos capacitados a oferecer o suporte radioanalítico requerido pela área nuclear". "É por isto que os profissionais do LAPOC que desempenham estas atividades são constantemente consultados para o atendimento de demandas analíticas identificadas pela CNEN e outras instituições envolvidas na área nuclear", complementa.