NOTÍCIAS 2022

O Laboratório de Poços de Caldas (LAPOC) da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) promoveu um treinamento prático intitulado: “Radioatividade alfa e beta em águas – treinamento laboratorial pelo método de secagem e contagem alfa/beta por detector de gás proporcional."

 

O evento realizou-se no período de 13 de setembro a 15 de setembro de 2022 nas dependências da unidade em Poços de Caldas, localizada no sul de Minas Gerais. No total participaram deste encontro 25 profissionais de instituições públicas e privadas, incluindo o físico Monpeko Samuel Morais que veio de Angola buscando ampliar seu conhecimento em radioanálises.  

 

O encontro foi aberto pelo coordenador do LAPOC, Dr. Antonio Luiz Quinelato, que deu boas-vindas aos participantes, valorizou a execução do treinamento prático e enfatizou que uma das principais atribuições da CNEN consiste na difusão do conhecimento da área nuclear.

 

Logo em seguida, o Dr. Nivaldo Carlos da Silva apresentou de uma maneira resumida as atividades institucionais realizadas pelo laboratório, destacando o trabalho radioanalítico executado no LAPOC.

 

Posteriormente a apresentação foi conduzida pelo organizador do treinamento laboratorial, Dr. Rodrigo Leandro Bonifácio, que é responsável pelos Laboratórios de Química Analítica e Radiometria da unidade. Durante sua apresentação foram discutidos diversos conteúdos diretamente ligados ao objeto do treinamento, como métodos de normalizados para medição de radioatividade alfa e beta em água, além da instrumentação e aspectos regulatórios inerentes ao ensaio. A seguir, os participantes tiveram acesso aos laboratórios do LAPOC, onde puderam executar o ensaio na prática sob a supervisão do técnico Marcelo Tarquínio Ferreira, que conta com mais de 30 anos de experiência em análise de espécies radioativas.

 

O organizador do evento, Rodrigo Bonifácio, destacou a importância do encontro. “A medição de radioatividade alfa e beta em águas é fundamental para assegurar que o suprimento de água potável oferecido à população brasileira atenda os padrões definidos como seguros pelo Ministério da Saúde. No entanto, são poucas as instituições capacitadas a executar este ensaio. O treinamento objetiva democratizar esta competência ao mesmo tempo que amplia a base de instituições habilitadas a fazer esta análise, capacitando os participantes para executarem o processo dentro dos mais rigorosos padrões metrológicos em seus próprios laboratórios”, acrescentou.